• "O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."
  • “Ninguém o despreze pelo fato de você ser jovem, mas seja um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza.”

Idiomas

pten

(61) 3242-4562

INTRANET

ico facebookico instagram

O aumento da população que se encontra na terceira idade no mundo hoje é um dos mais importantes desdobramentos da reestruturação etária decorrentes das profundas alterações na dinâmica demográfica mundial. Conforme os dados coletados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2004), especificamente no Brasil, em 1940, a expectativa de vida do brasileiro era de 38 anos; em 1994 foi para 66 anos e, no final do século, estendeu-se para próximo dos 70 anos. Para o ano de 2020, estima-se que haja cerca de 25 milhões de pessoas idosas e é ainda esperado que estas taxas continuem a aumentar.

Com o aumento da expectativa de vida e a saída da vida pública profissional com a aposentadoria, a alteração na configuração familiar com a saída dos filhos ou com a inserção de outros membros, a redução de sua participação em atividades sociais, a redução da rede social causada pela perda de amigos ou parentes ou do cônjuge por falecimento podem ser fatores de estresse e de prejuízo para a vitalidade, bem-estar físico e emocional na terceira idade. 

 Atualmente, com a possibilidade de estenderem o tempo de trabalho, essa parcela da população deixa de lado a inatividade e busca, cada vez mais, participar da vida familiar, dos grupos sociais, tanto para seu próprio benefício como para contribuir com o desenvolvimento da sociedade. Assim, muitos deles, apesar de já terem o direito à aposentadoria, continuam trabalhando, outros se envolvem em grupos de convivência e em atividades sociais voluntárias, como meio de continuarem participando da vida social. Como afirma Andolfi (1996), cada ser humano participa de diversos sistemas (os sistemas familiares, escolares, comunitários, ambientais, social, político), que influenciam diretamente no crescimento e no desenvolvimento do indivíduo, e que se movimentam juntos ao longo do tempo.

viverbem1

Fatores como a qualidade de vida e a longevidade, permitem que as pessoas da terceira idade passem pelo processo de envelhecimento para além das limitações biológicas, mas como uma possibilidade de conservação de competências e habilidades. A acumulação de experiências permite a alguns na terceira idade até mesmo alcançar um elevado grau de especialização e domínio nos mais diversos campos das atividades humanas (Simson e Giglio, 2002).

No entanto, poucos são os projetos ou instituições voltadas para oferecer a essa população a oportunidade de participarem de atividades que promovam seu bem-estar físico e emocional, bem como são poucas as instituições e projetos que favoreçam sua participação ativa na criação, desenvolvimento de ações que valorizem seus conhecimentos, experiência, habilidades profissionais e pessoais, deixando estes de atuarem no desenvolvimento da sociedade para o bem comum.

 

Este projeto se justifica pelo interesse em proporcionar às pessoas na terceira idade um espaço para convivência, atenção específica e onde possam continuar desenvolvendo suas habilidades, competências e experiência junto à sociedade. Justifica-se também pela escassez de projetos e instituições voltadas para esse público em Brasília.

            O projeto em pauta tem caráter continuado, uma vez que terá duração de um ano, com um encontro semanal de 8 horas (incluindo café da manhã, almoço e lanche da tarde). As atividades serão ofertadas à comunidade, sem custos para ela, e foram planejadas para garantir a autonomia e o desenvolvimento psicossocial do idoso, por meio de palestras educativas com temas pertinentes a essa fase da vida, workshops e atividades culturais. Além disso, favorece a participação ativa do idoso, uma vez que este poderá desenvolver atividades em relação ao grupo de acordo com seu interesse e habilidades.

parceiro 01